Vídeos

RESPONSABILIDADE FISCAL

1) Responsabilidade Fiscal - sem aumento de tributação

Nossa grave situação fiscal foi uma das responsáveis pela recessão verificada entre 2014-2016, contraindo a economia em 8,2%; apenas em 2015 mais de 1,8 milhões de empresas tiveram de fechar as portas e 14 milhões de brasileiros ficaram sem emprego.

Ajuste fiscal pode ser um remédio amargo, mas é uma medida necessária, portanto.

Em 2017 tivemos de trabalhar 153 dias apenas para pagar impostos. Em contraposição, há estudo que conclui que nossa carga tributária ótima seria de 28,38% do PIB.

Onde cortar despesas, então? A eficiência da despesa pública brasileira é, via de regra, baixa, além de nem sempre privilegiar a camada mais pobre e vulnerável da população. Essa é a conclusão de Relatório do FMI de 2017, encomendado a pedido do governo brasileiro.

Nele é realizado um prognóstico de algumas medidas que poderiam melhorar nossa situação fiscal, como reformar a previdência p a diminuição do peso da folha publica e, até mesmo, a revisão de algumas políticas de apoio ao Setor Privado.

O cliente do serviço público é o cidadão e todos os gastos deverão ter seu impacto e efeitos bem mensurado s no curto médio e longo prazo... É vergonhoso ver governos e politicos para apenas apagar incêndio com ações que até resolvem o problema no curto prazo mas no médio e longo se revelam mais uma dose de veneno contra a prosperidade.


desburocratização

Entre os 190 países analisados pelo relatório Doing Business do Banco Mundial, um ranking que verifica a facilidade para se empreender, o Brasil está entre os 10 piores países para se fazer negócios. Um outro ranking, da Heritage Foundation, colocou o Brasil como o 28o país mais hostil à geração de riqueza por falta de liberdade econômica.

Apoio iniciativas como a Comissão de Desburocratização e Empreendedorismo, promovida pela Câmara Municipal de Vitória, que tem atuado pela revogação de legislações e revisto o Código de Postural. Sendo assim, me comprometo a replicar este case a necessidade em âmbito estadual.

Essa burocracia é enorme até mesmo para a arrecadação de impostos, resultando em complexidade para pagarmos tributos. Segundo o Banco Mundial, as empresas brasileiras são as que mais gastam horas e dinheiro no mundo para cumprirem a burocracia tributária, composta por atualmente 63 tributos e 97 obrigações acessórias. Tudo isso demanda estrutura, tecnologia e recursos humanos, mitigando nossa competitividade.

Defendo, portanto, a simplificação da carga tributária com o simples argumento que quem gera emprego, imposto e renda são os empreendedores, o sucesso desses guerreiros tem como reflexo uma sociedade cada vez mais prospera e longe da pobreza.


Integridade do Setor público e Compromisso contra a corrupção

Como um dos idealizadores de um grupo de transparência pública na minha cidade da Serra defendo a transparência como um valor fundamental.

É preciso transparência de todos os atos dos gestores públicos, como agenda e despesas - pois "quem paga a conta é o cidadão". Defendo ainda a revisão de privilégios como o foro por prerrogativa de função, que abrange atualmente mais de 55 mil cargos.

Considero que a punição a maus gestores públicos é determinante para a correção de regras perversas; em virtude do abarrotamento de processos no STF, o que deveria ser uma proteção ao cargo, passou a ser uma proteção a políticos que deveriam prestar contas à sociedade.

Combate à corrupção implica em melhoria da despesa pública, em proteção do caixa do governo e as empresas estatais, além de assegurar a concorrência e o bom funcionamento do mercado.


Produtividade / educação

A produtividade brasileira está praticamente estagnada há 5 décadas. Para deixarmos de ser um país de renda média é preciso termos uma agenda de retomada da produtividade.

A estagnação da produtividade da mão de obra brasileira tem relação com o capital humano. Mesmo com a melhora de qualidade nos últimos 20 anos, a educação brasileira ainda é uma das piores do mundo no ranking PISA. A frequência escolar gira em torno de 60% no ensino médio, ocasionando uma falta de mão de obra minimamente qualificada ingressando no mercado de trabalho. Proporcionalmente ao PIB gastamos em educação mais que a média da OCDE, mas a prioridade não tem sido a educação de base - o que proponho aqui que será o foco.

Há alguns anos já entramos na era digital, as profissões estão mudando as competências da competitividade são outras vivo de tecnologia da informação e quero contribuir com minha visão.


Segurança Pública

Há seis anos faço parte do Conselho de Segurança Pública da região onde resido, vale ressaltar que é na Serra a cidade mais violenta do Estado nos ultimos 2 anos, enfrentei de frente como presidente deste conselho os efeitos e as causas da violência e exclusão social Verdadeiramente... uma longa, longuíssima caminhada... um problema sim, também, DE polícia (precisa melhorar...)... mas nunca DA polícia... quando chega na área de atuação desta, fica evidenciado que muitas coisas falharam... aí, não se pode esperar ?milagre? (pode até esperar, mas não virá...)... violência e criminalidade... resultado de crise social... no BR, agravado, potencializado... corresponsabilidade de todos.

Como cidadão tenho grande orgulho de apresentar um case que idealizamos em Jacaraipe a sociedade civil organizada fez um elo entre todos os agentes públicos responsaveis pelo tema. Vivo numa região que conta com 220 policiais para cuidar de 150 mil pessoas se você dividir isso em escala de trabalho terá cerca de 1 policial para cada 2700 moradores. Tinhamos 15 policiais tomando conta das ruas depois que fechamos o elo utilizando tecnologia e comunicação direta com as forças policiais e a participação de pessoas comprometidas, hoje além dos 15 policiais temos 600 moradores que tomam conta da sua rua e do seu comércio e quando identificam atitudes suspeitas ligam direto para a viatura que passa a agir de forma preventiva. Esse é um case simples que realizamos como cidadão.

Toda a experiência no conselho me fez conhecer de perto a falta de estrutura das policias num levantamento ano passado fiquei estarrecido com o numero de 700 ocorrências em um mês na minha região com apenas 7 inqueritos instaurados e um concluido ou seja, impunidade total. Precisamos ter uma policia civil forte para investigar e prender criminosos temos que ter um sistema prisional que já está sobrecarregado, voltado cada vez mais para o Trabalho inclusive, sou defensor do detento trabalhar para pagar suas despesas e gerar investimentos no sistema.

Mais do que isso precisamos diminuir o gargalo de entrada na criminalidade investir forte alto e com qualidade na educação, no esporte na cultura podemos resumir tudo isso na palavra oportunidade... O caminho escancarado para nossos jovens e crianças não deve ser o crime mais o de uma vida digna e prospera trabalhando e construindo o bem.


Turismo

Essa é a economia limpa... Um recurso natural do ES que não é explorado nem 5% do seu potencial! Temos que mudar a forma de enxergar o Turismo. E criar o ambiente fértil para o investimento privado.

O Tripé do turismo na minha visão é Segurança, respeito / proteção Ambiental, liberdade econômica. A cultura da hospitalidade deve ser difundida o turismo é oportunidade é emprego é alto estima. Turismo é vender felicidade

De itaunas até marataizes escalando o Pico da Bandeira eu amo o Espirito Santo! Sem falar na culinária, no forró pé de serra e nas altas ondes desse estado abençoado até no nome.


Como legislador

Acredito que Deus já nos deu o Direito a vida, a liberdade e nossa capacidade intelectual com ela, trabalhamos e consquistamos nossos bens e propriedade. Então afirmo que a Lei deveria existir para proteger a vida, a liberdade e a propriedade do cidadão de bem! Esses serão os principios dos meus posicionamentos.


Agenda

  • 30
    Agosto
  • Lançamento da Campanha

    Vamos juntos, renovar a politica capixaba!

    19:00
    R. Guaracy, 500 - Jardim Atlântico | Sol e Mar Eventos
    19:00